13

Bondcast 0055 – 007 Cassino Royale

Ano novo e fase nova! Chegamos na era Daniel Craig e com o esperadíssimo Cassino Royale. Escute nosso podcast e opine também sobre o reboot de 2006.

BCB_BANNER_0055

Sergio Vasconcelos, Giuzão Chagas, Lucian Novo, Rildon Santos e Luís Vinicius Melione recebem Thiago Ubaldo para falar sobre 007 – Cassino Royale (Casino Royale), filme de 2006 que marcou o reboot de James Bond no cinema, a estreia de Daniel Craig como 007 e a tão esperada adaptação do livro Casino Royale (primeiro livro de Ian Fleming sobre James Bond).

Obs 1: Eva Green, amamos-te.

Obs 2: Descubra quem grava o Bondcast usando roupa de borracha.

Aviso: O conteúdo do Bondcast.com.br não é jornalístico e não busca trazer um documentário completo sobre o assunto. O objetivo do nosso podcast é levar entretenimento com muito humor e às vezes um pouco de seriedade para aqueles que gostam de nos escutar.

Assine nosso feed:
https://itunes.apple.com/br/podcast/bondcast-brasil/id967616059?l=en
http://feeds.feedburner.com/bondcastbr

Tempo de Duração: 145 minutos

Lançado em: 07/01/2017

Bondcast

13 Comments

  1. Bem Cavaleiros do Bondcast Brasil pois agora do caso da era Daniel Craig pois o fato é o seguinte quando terminou a era Pierce Brosnan quando ele deixou a franquia porque ele já tava velho demais pra caralho porque eu peferia na época do Goldeneye em 1995 quando ele tava novato e no inicio os próximos anos se passaram muito e como chegou em 2006 nem eu sabia quem seria o próximo Sexto James Bond 007 e quando o Casino Royale era lançado nas locadoras em DVD Video e Blu Ray Disc fiquei absolutamente puto pra caralho porque da época dos anos 2000 que começou pelas atrocidades total na franquia James Bond 007 desde ao Quantum of Solace ate o Spectre, desde 2006 quando eu assisti o Casino Royale puta que pariu James Bond 007 Loiro com Cara de Macaco na franquia não dá cavaleiros, não dá, eu fiquei puto pra caralho sobre dessa mudança do laçamento do novo James Bond 007 dos anos 2000 sempre dá uma merda um atras do outro mas adaptação do Livro original do Ian Fleming é boa mas o reboot é uma pocaria completa e eu concordo pela toda visão influência do Eduardo Torelli que é autor do livro Sexo, Galmour e Balas e jornalista o cara sempre quis de ver pelo uma coisa boa certa de otima qualidade porque o cara não vai querer coisa ruim tipo Filme Remake e nem eu não querer coisa ruim pela geração atual porque eu confiro na posição do Eduardo Torelli porque o cara merece eu gosto muito do Eduardo Torelli o cara é super gente boa porque eu ouvi a entevista dele do Bondcast Brasil Especial em Em março de 2009 foi entervistado pelo jornalista Bruno Porciúncula, Marcus Vinícius, Fabiano Costa e Marcos Kontze (Maketto) da comunidade James Bond Brasil (JBBR) que eu impressionei da personalidade que eu archa esse cara super carismático com vocês no Bondcast Brasil e principalmente você Sergio Vasconcelos, Giuzão Chagas, Lucian Novo, Rildon Santos e Luís Vinicius Melione porque o Torelli ele é o cara super engraçado mas era qual a opinião simplesmente boa do Torelli, o cara só falava boa só na real mas pelo outro lado da vida na Europa na Inglaterra o Daniel Craig é radicalmente é só desgraça nacional é desgraça, desgraça e desgraça , Daniel Craig não nem ler os diálogos de frases, tem cara de macaco um cachorro loiro vira lata sem vergonha que não tem beleza e nem carisma pelo púbico e posso notar em hoje em dia que o Daniel Craig ele é um sujeito insuportável EU NÃO GOSTO DELE CARA FEIO PRA CARALHO ESSE CARA!!!

    Mas não o pessoal britânico ficaram fascinado pela escolha da Bruxa Bárbara Broccoli e Michael G. Wilson pelo Daniel Craig para ser o Sexto James Bond 007 e infelizmente eu não gostei dessa fase do James Bond 007 dos anos 2000 infelizmente não representa o James Bond 007 tem que ser originalmente original caternizado pelo próprio Ian Fleming dos livros se vocês cavaleiros ver os posters no filme do 007 Casino Royale desde James Bond 007 dos anos 2000 desta forma não tem nada ver e eu vou falar para vocês cavaleiros?

    Vocês acham que o Daniel Craig ele é o melhor James Bond 007 para vocês?

    Na própria visão ele não é cavaleiros, o meu melhor James Bond 007 para mim vai para sempre Pierce Brosnan porque ele é original caternizado pelo Ian Fleming dos livros porque eu gosto muito dese cara porque eu tenho que tirar o chapéu e o Daniel Craig não para mim ele é simplesmente pela mistura do ator global Guilherme Fontes que fez vilão bandido Alexandre Toledo da novela A Viagem de 1994 e Ator Global Marcello Antony, pela amor de deus não ta vendo que esses caras é insuportavelmente ruim porra!

    Olha cavaleiros se vocês é fã do Daniel Craig me descupe, Daniel Craig já esta fora do mercado na ponta na língua eu acho esses dois filmes do Daniel Craig como James Bond 007: Quantum of Solace e Spectre é um bosta completa mas isso para mim na minha visão isso não é 007 dos anos 2000 como eu esperava e pela opinião de vocês cavaleiros O Risco é de vocês!

  2. Fala galera do BondCast, mais uma vez Parabens pelo trabalho de voces….

    Esse filme é ótimo, é um dos meus favoritos, está em meu TOP3 e ele representa muito pra mim pois foi a partir deste filme que eu comecei a acompanhar a saga 007…

    Tenho 28 anos, o primeiro jogo que joguei em meu nintendo 64 foi o 007 goldeneye… no tempo de escola ia com os colegas depois da aula para a locadora para jogar 007 goldeneye, mas apesar disso e apesar da minha idade eu nunca tinha parado para ver um filme de 007…

    foi que em 2011 voltando do trabalho eu estava procurando algo para ver na TV e entao vi que estava passando 007 cassino royale, na hora eu pensei: “é o filme daquele cara novo, deixa eu ver como é”…. um detalhe é que até entao eu nao fazia ideia da existencia do filme seguinte Quantum of solace e que o skyfall ja devia estar em produção…. pois bem, quando eu coloquei pra ver o filme ja estava na cena em que o bond era torturado e vi o filme até o final,,.. eu gostei e partir daí fui entrando neste universo.. comprei a coletanea de DVDs e a cada filme que fui vendo eu pensava: “como é que eu nao vi esses filmes antes?” ..

    Foi a partir desse filme tambem que busquei aprender a como jogar poker, pois na parte da cena do cassino eu nao estava entendo nada sobre aqueles dialogos….quando aprendi a jogar poker o filme se tornou até melhor….

    Sobre a disputa entre Brosnam e Craig que rolou durante o podcast, na minha opinião o Brosnam é a imagem ideal do 007 até por ter sido o primeiro ator que eu tomei conhecido apesar de que na epoca dele eu nao acomponhei os filmes… ja o Craig é o ator que indiretamente me fez gostar de 007 por isso eles tem empate tecnico em minha preferencia…

    Parabens a toda a equipe

  3. Fala galerinha do Bondcast, tudo certo?

    Pois é cara, o que falar de casino royale…é um filme que gosto bastante, apesar de eu ver pouquissimas coisas de james bond e da própria espionagem nele. Costumo dizer que é um excelente filme de ação, mas que realmente deixa um pouco a desejar quanto a “identidade” de james bond, se é que me entendem.

    Eu, como muito fãs da série, me interessei pelos jogos de cartas lendo o livro, tanto é que hoje, uma das minhas melhores coleções, são de jogos de kits de poquer.

    Por fim, mais um baita cast de voces, parabens e tamo junto! (Aguardando outro convite pra participar kkkk)

    Abraços!

  4. Já Estava ma hora de vocês voltarem!!
    O requinte do Bond Cast é essencial e imperdível!!
    Adoro tomar meu café da manhã ouvindo vocês !!
    Bond Cast….uma imersão Singular para o Mundo de 007!
    Parabéns!!!

  5. Fala galera Bom Dia!

    Excelente cast,estava aguardando ,dizer o que sobre casino e um filmaço já via mais de 10 vezes,e não enjoa não se pode negar que o craig deu novos ares ao personagem que ficou mais próximo da realidade. Parabéns pelo excelente trabalho.Abraços

  6. Fala galera. Achei esse bondcast um dos melhores. Muita informação boa, galera engraçada demais, presença ilustre do nosso ex presidente beberrão (chorei de rir) e falar de um filme tão bom facilita muito também. Curto demais o filme e o livro, tanto que é o que mais reli, dentre todos.
    Quanto ao filme, tenho muito carinho por ele, já que foi pela vibe que surgiu na época, que voltei a pesquisar mais sobre JB, coisa que fiz desde criança, e conheci a comunidade no Orkut, o que, por consequência, fez com que conhecesse parte de vocês e passei cada vez mais a explorar e curtir mais ainda o personagem.
    Mais uma vez, parabéns pelo cast,
    Um abraço.

  7. Saaaaaaaaaaaaaalve Bondcasters!

    Filme de Cassino Royale, pelo que vocês disseram é um dos melhores dentro da filmografia de James Bond, o agente que tanto aprendemos a amar.

    Os detalhes foram muito interessantes, muita coisa que eu deixei passarem despercebidos quando assisti o filme (e olha que faz tempo). Preciso tomar vergonha na cara e procurar os filmes pra assistir e os livros pra ler.

    Grande abraço e até o próximo comentário.

  8. Olá, pessoal do Bondcast Brasil!
    Mais uma vez vocês nos dão um podcast incrível, conseguiram discutir muito bem o filme e mostraram o porque deste ser um dos melhores de toda a franquia.
    Eu gosto muito da ideia do reboot feito aqui, mas é principalmente porque eu só havia visto os filmes do Pierce Brosnam até então e sempre me sentia meio perdida com os filmes anteriores. Acredito que esse reboot me ajudou a ser fã de James Bond e não ter aquele medo por já ser uma franquia há muito estabelecida. Cassino Royale foi o único livro que li até agora, e apesar de o filme e o livro se passarem em épocas diferentes, a adaptação conseguiu trazer a história e as características com bastante competência. Nunca imaginei que eu fosse ficar realmente tensa com uma partida de poker, mas isso aconteceu! Por fim, queria dizer que eu não sei se os homens dão uma sofrida com aquela cena da tortura, mas eu sei que eu dei umas boas risadas com as tiradas do James Bond.
    Enfim, parabéns por mais um podcast maravilhoso e feliz ano novo (sim! Ainda dá tempo de dizer isso hahah).
    Até a próxima!

  9. Fala, galera do Bondcast Brasil! Sou ouvinte do podcast há pouco tempo (desde pouco antes de assistir SPECTRE) e esse é meu primeiro comentário. Sou fã recente da franquia. Apesar de ter contato antigo com o personagem pelos games, só fui ver um filme completo de 007 em 2008, pois a estréia de Quantum of Solace (péssima porta de entrada) que coincidiu com o meu aniversário de 18 anos (e foi o programa do pessoal antes da gente ir pra um barzinho pra comemorar a maioridade). Felizmente em 2012 Skyfall me colocou nos trilhos de me tornar um Bondmaníaco, já que o filme vende muito bem a franquia e me deixou empolgado. Desde então assisti aos filmes, li Casino Royale e Carte Blanche, fui atrás de games e li até uns quadrinhos do personagem.
    Gostaria de dar meus dois centavos sobre o Casino Royale:
    No começo do filme, quando Bond e Carter observam o fabricante de bombas em Madagascar, um erro de Carter, leva o terrorista a identificá-los e sair em disparada naquela fuga parkour incrível. Bond perde o controle da situação e faz a cagada de explodir a embaixada, mas consegue a bolsa do fugitivo onde encontra o celular que dá prosseguimento à investigação. Le Chiffre vê o jornal sobre o ataque à embaixada e a por isso tem seu primeiro “contato” com 007. Quando Bond recebe a bronca de M, não entrega que o erro inicial foi de Carter, nem fala que ele continua na trilha da organização por trás do fabricante de bombas. .
    Bond passa por toda uma sequência de espionagem por conta própria. Do celular acha a pista para as Bahamas, das câmeras acha o carro de Dimitrios, pede informação sobre o carro à recepcionista para achar Dimitrios, tem todo aquele conflito da aposta onde ganha o Aston Martin e seduz sua esposa. Depois disso, segue e mata o Dimitrios na exposição, usa o celular de Dimitrios para identificar o terrorista que ele contratou, usa o sistema de segurança do aeroporto para facilitá-lo a seguir e parar o terrorista e tudo acaba naquela luta incrível. No fim do filme é justamente o celular de Vesper que o leva a Mr. White. Vemos nessa sequência uma investigação que só progride graças ao “fator Bond”. As pistas estão sempre por um fio, mas existe ali, um personagem com as capacidades de observação e improviso clássicas de James Bond. Essa investigação dinâmica é uma característica clássica da franquia no cinema. Desde Connery, vemos momentos em que Bond se infiltra em lugares, usa disfarces e prossegue com a espionagem sem planejamento, num improviso altamente arriscado, mas que sempre compensa, pois sempre revela pistas sobre um mistério muito maior, do que 007 achava que estava se metendo.
    A essa altura do primeiro arco, Bond aguentou uma Bronca de M, foi detido pela polícia e sua carreira esteve por um fio. Já Le Chiffre teve dois atentados frustrados por Bond e está cada vez mais encurralado. As coisas estão se tornando pessoais antes mesmo deles se encontrarem. Isso é outra característica presente em muitos filmes. A inimizade com os antagonistas, muitas vezes, é construída de forma que as coisas sejam bastante pessoais no conflito final.
    Antes mesmo de ter contato com Bond nos filmes, já reconhecia os tropos da franquia e confesso que tinha essa sensação de que “esse não é o James Bond”, principalmente pela ausência dos famosos gadgets esquisitos. Em Casino Royale, pensei que a essência dos gadgets nessa nova fase era a discrição (como o chip de rastreio de Casino Royale ou o smart blood de SPECTRE), mas essa hipótese vai por água abaixo quando aparece o carro com o desfibrilador. Contudo, tenho uma sensação conflitante com a ausência do Q e da Moneypenny nesse filme. Por um lado, não seria difícil incluí-los em cenas já presentes no filme, por outro lado, Q não aparece e Moneypenny não é tão essencial no romance, além de ambos darem um tom cômico às suas cenas, o que talvez não tivesse espaço nesse filme.
    Minha maior crítica ao filme é à cena em que James mastiga de boca aberta. Se bem que eu eu mesmo sequer conseguiria segurar os talheres, diante da beleza estonteante da Eva Green, depois de ser envenenado e estar eufórico com uma vitória, após um torneio tão tenso.
    Gosto muito de como o tema musical finalmente”batiza” o personagem no fim do filme. Entendo que a Gun Barrel no fim de QoS tem um sentido de “ele passou por esse arco de amadurecimento pessoal e já pode começar a ser o James Bond que vocês querem”, mas me irrita como eles não largaram esse osso até hoje. Se em Casino Royale Bond teve sua história de origem e finalmente fala sua frase de efeito e em QoS ele finalmente se torna um agente mais responsável com a missão e ganha sua gun barrel; em Skyfall nos dizem “agora ele tem um Q, uma Moneypenny e um M homem” e em SPECTRE “finalmente temos Blofeld e a SPECTRE”. Será que a construção do mito só será concluída no último filme, EON? Isso não me soa legal.
    Enfim, Craig não é meu Bond favorito (ainda coloco Dalton e Connery na frente dele), mas me trouxe à fan base e com certeza merece se despedir da franquia com um filmaço e se tornar o Bond de uma geração, como Brosnan o foi em sua fase.
    Um grande abraço e até os próimos casts!
    P.S.: Nos quadrinhos da Dynamite, Bond diz a M que levará seu próprio carro à missão, ao invés de dirigir um dos Fiats enferrujados do MI-6. Então, é ok o Bond à brasileira dirigir um Uno da Abin, mas acho que ele preferiria conduzir seu próprio Miura.
    P.S.2: A redação desse comenário durou 3/4 da trilha sonora de Casino Royale que ouvi enquanto escrevia!

  10. Fala galera! Sou fã dá franquia desde 2004 com o festival Cine Belas Artes do SBT, mas só fui descobrir que o 007 vinha dos livros com o Cassino Royale. É um baita filme de ação, pena que peca nos quesitos “Bondianos”. O grande culpado pelo reboot não foi Cassino Royale e sim Quantum Of Solace, uma continuação direta com o próximo filme trouxe esse ar de reboot, se o próximo fosse Skyfall, teríamos apenas um filme contando isoladamente a primeira missão do Bond.
    Vlw pessoas até o próximo cast!
    🙂

  11. Ótimo cast galera! Este filme, que acabei por ver em casa e por acaso, me reacendeu o fanatismo pelo personagem. Fui muito fã de 007 na minha infância. Gravava em VHS os filmes que passavam na sessão da tarde ou na sessão James Bond (grande Roger Moore). Da minha infância até uns 18 anos eu assistia muito. Mas depois parei de dar atenção, e o último do Brosnan foi o último prego no caixão desta idolatria ao personagem. Não que eu não seja fã do Brosnan (assisti 20 vezes Goldeneye, e toda vez que assisto a cena do tanque quebrando a parede com a trilha sonora, me dá um arrepio), mas o último dele foi sacanagem.
    Pois então, num certo sábado, quando minha esposa (na época namorada, e que não suporta ouvir eu falar de James Bond) foi na festa de fim de ano da empresa dela, eu aproveitei para ver um filminho a noite, quando me deparei com o Casino Royale. Meu Deus, que filme. Apesar de não ser tão bem humorado como Roger Moore e Brosnan (meus preferidos), o filme não ficou devendo nada para mim. Cena de abertura muito bem feita em preto e branco e colada com “you know my name”, me deixou de olhos arregalados e eufórico, apesar das aparições do Daniel Craig na abertura (com aquelas tiras pretas aparecendo nele até ele parecer um ninja). O filme continua com uma das melhores sequencias de ação da série, com parkour e destruição. Gostei de ver a “M” que aprendemos a amar, sem aquela estranheza quando a vimos pela primeira vez em Goldeneye. O elenco é ótimo e o que falar então da Eva Green…. AAAAAAAAA Eva Green. O filme me fez ter vontade de ler o livro e não fiquei só nele. Li todos os livros do Fleming, a essência do mal, Solo, e estou agora lendo o licença renovada. Assisti de novo todos os filmes, agora não mais em VHS, e sim com qualidade ótima e digital. Fiquei ansioso pelos próximos filmes mas, aí quando veio Quantum of Solace, me desanimou um pouco, mas logo me animei de novo com Skyfall e Spectre (que é bem mais ou menos). Pena que estes filmes parecem contar uma história só, e não como os antigos que quando eramos crianças ficávamos sem ter certeza se faziam parte da mesma cronologia. Fico feliz que já estamos na era Craig, mas o que acontece quando tiver o cast de Spectre? Ficaremos sem Bonscast’s até lançarem outro filme? Continuem assim galera, vocês são uma ótima companhia quando coloco meus fones de ouvido.

  12. Olá Meninos, Adorei o cast sobre CR. Eu adorei. Recentemente terminei de reler o livro e em seguida vi o filme. Uma experiência maravilhosa q nunca tive e q resolvi tentar graças aos sábios conselhos dos queridos Lu e bat Rildon no nosso grupo do whats app. Isso mudou mto minha visão de CR. Na minha opinião, esse filme tirando aquela parte do reboot , foi uma das melhores adaptações. Até a cena do infarte de Bond q me incomodava bastante, agora faz sentido.
    Vi 3 vezes no cinema e tive a alegria de ver tb na cabine de imprensa. Inesquecível. Me tornei fã da Eva Green, uma excelente atriz. Sinto – me mto honrada toda vez q visto meu vestido roxo num evento c/ o nó argelino e tudo p/ representar esta incrível personagem. Até ganhei um elogio da própria Eva Green qdo mandei uma foto minha usando o vestido para o Twitter dela. Ela achou incrível. Agora incríveis mesmo são vcs, sem palavras, só risadas, ótimas companihias e mta informação legal. Bjs, amo vcs.

  13. Falem Galera do Bondcast!
    Mais uma vez um cast Muito Informativo e Divertido!
    Acho Casino Royale um filme Fantástico!
    Concordo que faltam algumas coisas sempre presentes nos filmes de Bond!
    Mas apesar do Trator Craig ser um James Bond Muito Feio e sem charme, eu confesso que gostei de sua atuação tanto neste como nos seguintes filmes!
    E gostaria que ele fizesse mais um!
    Um abraço gente!
    Continuem com o Excelente Trabalho!

Deixe uma resposta para Alex Mende (James Bond 007) Cancelar resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *